fbpx

Correção do FGTS pela inflação anima mercado imobiliário

Correção do FGTS pela inflação anima mercado imobiliário

A recente decisão de correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pela inflação tem animado o mercado imobiliário. A medida, que foi aprovada pelo governo brasileiro em agosto de 2019, permite que os trabalhadores tenham uma valorização real dos seus saldos no FGTS, o que pode impulsionar ainda mais o setor imobiliário.

Antes dessa decisão, a correção do FGTS era feita apenas com base na Taxa Referencial (TR), que muitas vezes não acompanhava a inflação. Isso significava que, na prática, o valor do FGTS ficava defasado ao longo do tempo, já que os rendimentos não eram suficientes para acompanhar o aumento dos preços.

Com a nova norma, a correção passou a ser feita com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é o indicador oficial da inflação no Brasil. Isso significa que os trabalhadores terão uma valorização real do seu FGTS, garantindo que seu poder de compra seja preservado ao longo do tempo.

Essa mudança tem sido muito bem recebida pelo mercado imobiliário, pois aumenta a confiança dos investidores e potenciais compradores. Com a correção pela inflação, os recursos depositados no FGTS passam a render mais, o que pode estimular a utilização desses recursos para a compra de imóveis.

Além disso, a medida também pode beneficiar o setor de construção civil, já que mais pessoas terão recursos disponíveis para investir na compra de imóveis. Com a demanda aquecida, as construtoras e incorporadoras podem se sentir mais confiantes para lançar novos empreendimentos, estimulando a geração de empregos e movimentando a economia como um todo.

Outro ponto positivo é que a correção do FGTS pela inflação também pode beneficiar os mutuários que utilizam o FGTS como parte do pagamento para financiamento imobiliário. Com um saldo atualizado, o valor disponível para uso no financiamento será maior, permitindo uma entrada maior e, consequentemente, uma redução no valor financiado e nas parcelas mensais.

É importante ressaltar que, apesar dos benefícios, a correção pela inflação não altera as regras de saque do FGTS. Ou seja, o dinheiro continua sendo disponibilizado apenas em situações específicas, como demissão sem justa causa, aposentadoria, doenças graves, entre outras.

No entanto, mesmo com essa restrição, a correção do FGTS pela inflação é considerada um avanço significativo. A medida valoriza os recursos dos trabalhadores, estimulando o setor imobiliário e gerando benefícios para a economia como um todo.

Em resumo, a correção do FGTS pela inflação tem animado o mercado imobiliário. A medida garante uma valorização real do saldo do FGTS, o que pode estimular a compra de imóveis, beneficiar o setor da construção civil e gerar impactos positivos na economia. Com mais recursos disponíveis e uma maior confiança dos investidores, espera-se um aumento no número de negócios realizados no mercado imobiliário nos próximos anos.

Rolar para cima