fbpx

FII pode aproveitar crescimento da Selic e atrair investidores.

Dividendos de até 108% do CDI sem Imposto de Renda: este FII pode surfar Selic alta e fluxo de dinheiro dos ‘órfãos’

Você já ouviu falar do Fundo de Investimento Imobiliário (FII) que oferece dividendos de até 108% do CDI e ainda isentos de Imposto de Renda? Parece interessante, não é mesmo? Neste artigo, vamos analisar essa oportunidade de investimento que pode se beneficiar das altas taxas de juros e do fluxo de dinheiro dos investidores “órfãos”.

Os FIIs são uma forma de investir no mercado imobiliário de forma mais acessível e diversificada. Eles funcionam como condomínios fechados, em que o investidor adquire cotas do fundo e se torna dono de uma parte do seu patrimônio imobiliário. Os rendimentos gerados pelas propriedades, como aluguéis e venda de imóveis, são distribuídos entre os cotistas na forma de dividendos.

No caso do FII em questão, o diferencial está na possibilidade de receber dividendos de até 108% do CDI. Isso significa que, se a taxa básica de juros estiver em 6% ao ano, por exemplo, o investidor poderá receber até 6,48% de retorno ao ano, enquanto o CDI rende apenas 100% da taxa.

Além disso, esse FII é isento de Imposto de Renda, o que representa mais uma vantagem para os investidores. Ao investir nesse tipo de fundo, você evita a cobrança de IR sobre os dividendos recebidos, o que pode aumentar ainda mais o retorno líquido do investimento.

Mas como esse FII consegue oferecer retornos tão atrativos? Isso se dá pela estratégia de investimento adotada pelo fundo. Ele busca adquirir imóveis localizados em regiões estratégicas, com alta demanda e potencial de valorização. Além disso, o fundo pode atuar tanto no segmento comercial, alugando espaços para empresas, como no segmento residencial, alugando imóveis para moradia.

Com a atual tendência de alta da taxa Selic, que é a taxa básica de juros, esses FIIs podem se beneficiar da valorização dos imóveis, já que a demanda por aluguel aumenta quando os financiamentos se tornam mais caros. Além disso, o aumento da taxa de juros também pode atrair mais investidores para esses fundos, em busca de rentabilidades superiores às oferecidas pelos investimentos mais conservadores, como a poupança.

Outro aspecto interessante desse FII é o fluxo de dinheiro dos chamados investidores “órfãos”. Esses são os investidores que ficaram sem opções atrativas de renda fixa após o corte da taxa básica de juros nos últimos anos. Com as taxas de juros em níveis historicamente baixos, muitos investidores buscam alternativas de investimento que ofereçam retornos mais atraentes.

Nesse sentido, os FIIs se apresentam como uma opção interessante, pois oferecem a possibilidade de diversificação de investimentos, com exposição ao mercado imobiliário, e ainda proporcionam retornos superiores aos oferecidos pela renda fixa tradicional.

É importante ressaltar que, apesar das vantagens apresentadas, esse investimento também possui riscos. A valorização dos imóveis e a demanda por aluguel podem ser afetadas por oscilações econômicas e eventos imprevisíveis. Além disso, a rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura, e cada investidor deve avaliar sua tolerância ao risco antes de investir.

Portanto, se você está em busca de uma oportunidade de investimento que possa se beneficiar da alta da taxa Selic e do fluxo de dinheiro dos investidores “órfãos”, vale a pena considerar esse FII que oferece dividendos de até 108% do CDI, sem Imposto de Renda. No entanto, lembre-se sempre de fazer uma análise criteriosa do fundo, avaliando sua estratégia, histórico de rentabilidade e os riscos envolvidos, antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Rolar para cima